Formação de novas lideranças: como formar sucessores na sua empresa

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A sucessão de líderes é um passo decisivo dentro de qualquer organização. Não se trata de preparar um concorrente, mas sim alguém com condições para dar continuidade ao trabalho já iniciado. Portanto, é preciso amadurecer a mentalidade sucessória para realizar a formação de novas lideranças.

Essa é uma ferramenta estratégica essencial para manter a qualidade dos líderes de uma empresa, proteger sua competitividade e investir em seu capital intelectual. Dessa forma, é possível assegurar um futuro promissor tanto para a empresa quanto para seus colaboradores.

Se você quer saber mais sobre a formação de novas lideranças, continue conosco. Neste post, você descobrirá o que é um plano de sucessão, qual sua importância e como aplicá-lo na organização. Boa leitura!

Definição de plano de sucessão

O plano de sucessão é diferente de um plano de carreira. Este último é elaborado para que o profissional construa uma trajetória na empresa. Já o plano de sucessão é especificamente direcionado ao preenchimento de cargos estratégicos.

Dessa forma, ambos os processos se complementam e garantem que a empresa desenvolva seus profissionais. Isso permite o mantimento de colaboradores com um bom nível de maturidade profissional e conhecimento profundo de estrutura do negócio, missão, valores e cultura.

Logo, o plano de sucessão é uma forma de preparar os profissionais com potencial para assumirem uma posição estratégica. Isso evita que a transição seja imediatista e equivocada, pondo em risco os resultados da empresa.

Importância de um plano de sucessão

Nenhuma empresa está imune à saída repentina de um colaborador. No entanto, para que as equipes não sejam impactadas de forma negativa, é importante que as sucessões sejam planejadas e bem estruturadas.

A prática do plano sucessório depende de um ambiente propício para o desenvolvimento de comprometimento e cooperação na equipe. Isso reforça a cultura empresarial, melhora o clima organizacional e estimula a produtividade individual e coletiva.

Outros aspectos importantes a serem salientados sobre as contribuições do plano de sucessão são:

  • facilidade na retenção de talentos;
  • redução da insegurança;
  • aumento do engajamento;
  • inibição das taxas de turnover;
  • clareza sobre o perfil de profissional que a empresa busca.

Formação de novas lideranças

Separamos algumas dicas importantes que auxiliarão você a formar novas lideranças em seu próprio negócio. Ficou curioso? Confira agora mesmo!

1. Faça um diagnóstico inicial

Uma mudança só é possível a partir do momento em que se conhece a situação atual. Portanto, é importante saber qual é a necessidade real da empresa. Devem ser identificados cargos e funções essenciais para seu sucesso, além dos potenciais continuadores para esses cargos.

2. Defina estratégias de sucessão

Com o diagnóstico pronto, basta iniciar a definição de estratégias para as sucessões. É preciso decidir como o plano será realizado e selecionar suas principais ferramentas de escolha e de desenvolvimento dos profissionais.

Nesse ponto, é indispensável analisar as competências técnicas e comportamentais desejadas para o cargo e compará-las com o perfil de cada sucessor potencial.

3. Elabore o plano sucessório

Na elaboração do plano, é necessário cruzar todas as informações obtidas, ou seja, realizar o diagnóstico do cargo e a análise do perfil profissional de cada talento. Só então serão escolhidos os sucessores, sempre com uma segunda opção de segurança para cada posição.

Para que todo o processo seja claro e transparente, é importante comunicar e apresentar o plano aos envolvidos. Assim, dá-se início efetivamente à etapa da preparo para a transição.

4. Estabeleça a formação de novas lideranças

A etapa final é uma das mais importantes. Ela é responsável por preparar e desenvolver os profissionais para assumirem uma posição de liderança. Nessa fase, os sucessores escolhidos receberão as ações e os treinamentos determinados no plano.

Esse planejamento pode (e deve) ser revisitado todos os anos, estando passível de ajustes e adaptações. Também é relevante estabelecer um prazo durante o qual o sucessor deve ser preparado. Geralmente esse tempo é pensado entre dois e cinco anos.

Por fim, certifique-se de manter a sucessão funcional e constantemente atualizada. Lembre-se de que ela vai além uma substituição de cargos. É uma estratégia de preparação que garantirá o sucesso da empresa em longo prazo.

Você gostou desse conteúdo? Então não deixe de conferir e evitar essas 3 falhas no desenvolvimento de novos líderes!



Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×