Design thinking: Como apoiar o RH na mudança do mindset?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Imagine que os problemas da sua empresa podem ser resolvidos longe das planilhas de Excel e de argumentos repetitivos. Imagine que esta solução pode ser criativa, ágil e com a colaboração de funcionários e clientes. Essa possibilidade existe e atende pelo nome de design thinking.

Mas, afinal, o que é design thinking?

O design thinking (DT) é uma forma de pensar ágil e inovadora, que ajuda na solução de problemas. A abordagem busca conhecer de forma clara as necessidades e os problemas de seus clientes, unindo pensamento crítico, trabalho em equipe e ação.

O termo é usado desde 1991, e é atribuído a David Kelley, professor da Universidade de Stanford e fundador da empresa IDEO, junto com seu colega Tim Brown, CEO da instituição.

Como pensar fora da caixa?

O mundo atual exige que os profissionais trabalhem de forma inovadora e dinâmica, por isso o DT foi adotado de forma rápida pelo mundo corporativo. Esta forma de pensar tem um impacto forte na imagem da empresa, pois coloca as experiências e necessidades do cliente como centro da solução.

É possível aplicá-lo seguindo esses cinco passos:

1. Imersão

Na primeira etapa é preciso identificar o problema que o cliente enfrenta. Para isso, são realizadas pesquisas e entrevistas. O contato próximo e a observação do comportamento e reação do usuário tornam mais fácil a tarefa de identificar os problemas no uso do produto ou serviço.

2. Análise

Depois da coleta de dados é hora de chegar a um consenso sobre qual será o problema a ser resolvido.

3. Ideação

Chegando a uma conclusão, é hora do brainstorm. Colaboradores de diversas áreas da empresa se reúnem em uma equipe multidisciplinar para tentar achar uma solução. As variadas formas de observar o mundo destes profissionais vão ajudar a encontrar diferentes respostas.

4. Prototipação

Com as melhores ideias em mãos e sabendo que o enfoque deve estar nos pontos fortes e fracos da solução sugerida, é hora de elaborar um protótipo da ideia. O modelo deve ser fácil de ser produzido e comercializado no mercado e deve ser de baixo custo para a empresa.

5. Implementação

Após os testes, é o momento de elaborar estratégias para que o produto concebido chegue ao público. É preciso pensar em modos de impulsionar a visibilidade, na maneira como será comunicado e o impacto econômico de toda a operação.

Quais os benefícios de pensar como um designer para o RH?

Em um mundo de constantes transformações, apesar de amplamente utilizado em áreas do mundo de negócios, o design thinking ainda enfrenta resistência de implantação.

A oposição é por ser um processo baseado em constante aprimoramento, de tentativa e erro, mas que, por outro lado, possui chances maiores de conseguir alcançar a satisfação do cliente por envolvê-lo diretamente na solução do problema.

A área de Recursos Humanos pode tirar proveito dessa nova abordagem. Veja alguns dos benefícios:

  • profissionais têm a oportunidade de usar a criatividade na resolução de problemas, saindo de uma postura e atuação limitada e burocrática;
  • as ações internas, como a comunicação, passam a ter um enfoque mais eficaz, pois na hora de produzir o conteúdo é necessário ser mais empático e pensar no que será mais proveitoso ao consumidor final;
  • as equipes ficam mais engajadas e produtivas, porque se sentem mais integradas nas tomadas de decisões da empresa.

Viu como o design thinking pode ser um grande aliado na construção de soluções efetivas para as demandas que recebe? Compartilhe este post nas suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso às novidades do mundo corporativo!



Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×